Ultimate New World RPG

Para todos aqueles que procuram um RPG repleto de batalhas, história, diversão e oportunidades para desenvolver seu personagem, este fórum é sua melhor opção.


    Ilha dos Mortos - Voyna

    Compartilhe
    avatar
    O Mestre
    Admin

    Mensagens : 123
    Data de inscrição : 15/02/2015

    Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por O Mestre em Sex Mar 03, 2017 10:37 pm


    ILHA DOS MORTOS

    Pouco se sabe sobre a Ilha dos Mortos, não existem fatos somente rumores sobre ela, e todos são ruins. Dizem que esta ilha já foi uma parte prospera de Voyna, sendo uma cidade importante e que produzia tecnologia militar diretamente para a capital. Porém de um dia para o outro, a população inteira se extinguiu, não sobrou uma unica pessoa, um único animal. Alguns cogitam ter sido um experimento que deu errado e eliminou a todos, outros falam que a ilha foi amaldiçoada e que qualquer um que por o pé nela, terá o mesmo fim que os antigos moradores.
    avatar
    Ultimos

    Mensagens : 60
    Data de inscrição : 17/02/2017
    Idade : 21
    Localização : Rio de Janeiro

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por Ultimos em Sex Mar 03, 2017 11:06 pm


    Para esse pirata, exocêntrico é pouco.
    Ele ativou alguma coisa no navio e nos levou para um modo de super velocidade. O pequeno Palácio Marinho tinha seus truques. Eu havia doado parte de minha mana para ativar aquilo, mas pelo menos Over-Edge havia se exposto a mais essência magica.

    O navio navegou por praticamente uma hora em alta velocidade, era mais velocidade do que eu achei possível atingir, e isso me deixou nervoso por um tempo. Eu até preferi ficar calado durante a viagem. Os outros piratas deviam estar bem, mas possivelmente se algum deles estivesse no convés, seria deixado para trás.  

    Já no convés, após a viagem "turbinada", pude ter certeza que ainda eramos seis. Isso me deixou um pouco mais curioso, para além da ilha em nossa visão.  — Esse tipo de coisa é normal por aqui ? — Perguntei olhando para Christina, ela parecia sã o suficiente para me garantir uma resposta.

    Após a resposta dela, ai sim eu voltaria minha atenção para a ilha. Sombria, ela me deixava com uma sensação estranha. Eu nem considerava a possibilidade de que a experiencia de descer até ela fosse agradável. Teria, o capitão, algo para resolver la ?

    — O nome me parece mais um aviso, você tem interesse em ancorar por aqui ?— Eu perguntei, até tinha certa curiosidade para entender os piratas e suas formas de viver.

    avatar
    O Mestre
    Admin

    Mensagens : 123
    Data de inscrição : 15/02/2015

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por O Mestre em Sab Mar 04, 2017 1:46 am

    Christina - Receio lhe dizer que, sim, este tipo de coisa acontece conosco quase sempre. Nunca chegamos tão próximos de sermos pegos pela marinha mas, estamos a todo momento nos metendo em confusão, nosso capitão procura por ela o tempo todo.

    O Excêntrico - É claro! Aventura vem com um custo meus caros, e eu estou disposto a pagar!

    A mulher dava um sorriso gentil e apreensivo para Últimos, tentando lhe indicar que talvez não tivesse se juntado ao melhor grupo, caso o rapaz não quisesse se meter em perigo. Em contrapartida o capitão excêntrico tinha empolgação em sua voz, ele puxava de seu bolso uma luneta para observar melhor a ilha. Logo que conseguia observar um pouco da estrutura do local ele finalmente percebeu que Últimos tinha lhe feito uma pergunta, e ao responde-lo voltou com a mania de passar o braço em volta do garoto:

    O Excêntrico - Claro que tenho meu rapaz! Eu fugi para estas coordenadas justamente porque, se a ilha existisse mesmo seriam dois coelhos em um único golpe! Afugentar nossos inimigos e encontrar um local que é considerado apenas mito! Isso não te deixa empolgado? A vida de pirata é algo que amo pois todo dia posso viver aventuras que nem em meus sonhos pensei serem possíveis! Agora se quiser ficar no navio e esperar a escolha é sua. Tripulação! Vamos ancorar neste ilha!

    Um "Aye Aye" alto e firme vinha dos tripulantes que novamente se colocavam em posição para que pudessem navegar o pouco caminho que lhes faltava, e em poucos momentos estavam em uma parte que parecia ser um porto abandonado, e totalmente destruído.



    Demorou um pouco para conseguirem achar um ponto onde conseguiriam ancorar sem problema, mas finalmente estavam prontos para descer, para explorar a Ilha dos Mortos. O capitão olhou para Últimos como se perguntasse se ele iria querer ir junto ou não, o grupo de exploração se constituía do Excêntrico, Eliza e Nick, deixando apenas Joseph e Christina para trás. O que o rapaz faria? Iria junto com o grupo explorar a ilha? Ou iria preferir ficar protegendo o navio junto com os que ficaram para trás?
    avatar
    Ultimos

    Mensagens : 60
    Data de inscrição : 17/02/2017
    Idade : 21
    Localização : Rio de Janeiro

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por Ultimos em Sab Mar 04, 2017 5:39 am


    Certo, eu sorria com a boa notícia.
    Eu dei mais uma olhada para o porto, vazio e cheio da mais pura aura sombria. O lugar exalava perigo, mas ao mesmo tempo atiçava meu lado curioso e explorador. Eu evitei respirar fundo dessa vez, só por precaução. O fato de estarmos no meio da noite só deixaria a ilha mais assustadora, mas havia de o nascer do sol, e nenhuma visão seria tão reconfortante.

    — Que ? Haha, eu estava torcendo para que você dissesse sim. É claro que vou, obrigado pelo convite. Digo, sou curioso — Disse, mas rapidamente me segurei. Apesar de estar animado, eu deveria lembrar que não era de fato um membro do grupo, e meus planos eram, ainda, chegar na capital. Por fim, comecei fazendo o caminho para fora do convés, a passos largos. Enquanto o barco se aproximava da ilha sombria, desci até o inventario e peguei a minha mochila. Também coloquei a minha espada de volta na cintura antes de reencontrar com o pessoal.
    Por fim, acelerei para me juntar ao grupo que desceria até o porto, e nessa hora notei que Joseph e Christina ficariam, exatamente os dois mais confiáveis, na minha opinião. Me peguei perguntando se eles ficariam bem, mesmo que ainda não tivesse tido tempo de falar com o homem.

    Olhei mais uma vez para Eliza, e para Nick, imaginando que ela seria a ajuda armada e ele a escolta da expedição. Bem, não deixava de ser um bom time, talvez até fosse uma boa situação para aprender mais sobre o trio. Seria legal. Mas mesmo assim mostrei meu polegar em positivo para os que ficaram, era um "tchau" antes de descer até o porto.

    avatar
    O Mestre
    Admin

    Mensagens : 123
    Data de inscrição : 15/02/2015

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por O Mestre em Sab Mar 04, 2017 5:32 pm

    O capitão excentrico esboçava um sorriso intenso ao perceber que o garoto era tão curioso e explorativo quanto ele, o que o deixou ainda mais empolgado para explorar aquele local desolado. Assim que estavam todos preparados eles desceram na costa e foram contornando-a para uma vila que o pirata tinha visto em sua luneta. Enquanto estavam no caminho Nick se aproximou de Últimos e estendeu sua mão a ele em forma respeitosa:

    Nick - Prazer, eu sou o Nick, é bom ter mais alguém que parece da minha idade na tripulação, mesmo que seja temporário. O que esta achando? Eles são meio malucos mas são legais né? Aventuras é o que não falta, já quase morri algumas vezes hahaha. Se precisar de alguma ajuda só falar, acho que em combate conseguiremos sincronizar bem, eu uso adagas então posso deixar os inimigos fracos enquanto você os finaliza com sua espada.

    O ruivo parecia ser um garoto legal e bem entusiasmado, ele parecia não ter medo de se meter em perigo e parecia acostumado com aquela situação. Alguns minutos de caminhada e o grupo chegou em uma vila abandonada, a mesma parecia estar vazia por muitos anos, quase todas as casas estavam caindo aos pedaços. O Excêntrico deu uma boa olhada em todo o local e depois se virou para a tripulação sorrindo.

    O Excêntrico - Esta vila esta bem acabada, mas temos três locais que parecem estar mais inteiros e talvez tenham algo interessante. São eles a pousada, a taverna e uma casa bem ao fundo que parece uma mansão. Vocês querem ir juntos ou deveríamos nos separar?

    Logo depois do capitão fazer essa pergunta Eliza se separava do grupo, ela não dava nenhuma resposta e nem falava nada, somente seguia em direção a enorme casa que parecia uma mansão. Nick e O Excêntrico olharam para a garota indo embora e riram, aceitando aquilo como um "vamos nos separar" e cada um seguiu para um local, Nick indo para a taverna e o capitão para a pousada. O que Últimos faria? Gostaria de explorar algum dos locais com um deles? Ou tentaria se separar também e explorar um lugar diferente dos que eles escolheram?
    avatar
    Ultimos

    Mensagens : 60
    Data de inscrição : 17/02/2017
    Idade : 21
    Localização : Rio de Janeiro

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por Ultimos em Sab Mar 04, 2017 11:58 pm

    — Muito bem, eu me chamo Ultimos— Não fazia mais sentido esconder isso. Eu apertei a mão do jovem antes de continuarmos.
    —Você parece ser realmente rápido, podemos tentar qualquer hora. — Eu fiz como para os outros, mostrei o polegar para o garoto, com um sorriso no rosto. Eu realmente não gostei da parte de quase morrer, mas entendi o que significava para o garoto, ele parecia gente boa também.

    Chegando a hora, eu me peguei indeciso, certamente. Eu tinha assuntos para resolver com a senhorita Eliza, dúvidas para esclarecer melhor com o exocêntrico e bem , eu não queria decepcionar o garoto que havia tentado ser legal comigo. Finalmente, eu decidi seguir Nick, movendo-me de forma acelerada para alcança-lo em direção a taverna.


    avatar
    O Mestre
    Admin

    Mensagens : 123
    Data de inscrição : 15/02/2015

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por O Mestre em Dom Mar 05, 2017 7:07 pm

    Nick - Últimos? Nome interessante, diferente. Vamos lá cara, vamos descobrir os segredos desse lugar antes de todo mundo!

    O ruivo parecia estar bem feliz e empolgado de Últimos ter escolhido ir junto com ele investigar a taverna, os dois então sacaram suas armas e entraram no local. A taverna estava tão ruim por dentro quanto por fora, as paredes, o chão, o teto, praticamente tudo estava podre, cheio de fungos, e com um cheiro forte que deixava a dupla meio atordoada. Porém Últimos reparou em algo bem estranho em meio a tudo aquilo, apesar da destruição que aparentava ser de muitos anos atras, em todas as mesas e no balcão, vários talheres, copos, pratos, estavam espalhados como se alguém ainda tivesse usando aquela taverna.

    O rapaz se aproximou de uma das mesas e olhou com mais atenção para ver se achava algum detalhe importante, e ele viu que apesar de estarem arrumados como se alguém os tivesse usado, os copos, talheres e tudo mais estavam tão destruídos e mofados quanto o resto. Que estranho, pensava o garoto, era como se em um momento todos os cidadães tivessem ali se divertindo, enquanto em outro momento todos tivessem desaparecido sem qualquer explicação para isso.

    -Aaaaarrghhh.........

    Nick - Últimos... f-foi v-você que fez esse barulho?

    Logo apos a pergunta do ruivo os dois ouviram o barulho novamente, parecia humano mas ao mesmo tempo parecia algum tipo de animal, era um som estranho e que parecia estar vindo do andar de cima. Nick segurava suas adagas com ainda mais força e ficava olhando para as escadas em posição de combate, ele parecia estar bem preocupado com o que poderia estar fazendo aquele estranho som. O que fazer? Deveria Últimos sugerir que mantivessem a posição e esperassem pela coisa? Ou deveria sugerir que subissem as escadas e fossem de encontro a o que quer que fosse que estava la?
    avatar
    Ultimos

    Mensagens : 60
    Data de inscrição : 17/02/2017
    Idade : 21
    Localização : Rio de Janeiro

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por Ultimos em Dom Mar 05, 2017 8:58 pm


    O ambiente, o vazio e o cheiro de mofo presente no ar... Tudo só piorava, juntos para complicar o cenário que se tornava perturbador. E o som ? Foi a gota d'água.

    — Eu tenha cara de quem faz esse barulho ? — Eu perguntei, sem saber se ficava bravo, chorava ou ia embora.
    Eu apertei a espada entre os dedos, se o barulho vinha de cima, ainda poderíamos nos preparar. Eu olhei para o teto só para ter certeza de que a criatura ( a essa altura eu já estou certo de que é uma criatura ) não teria algum buraco na estrutura para nos surpreender.

    — Seja la o que for, não parece som de coelho, cão ou gatinho. Nick, é melhor abrir o olho... — Eu indubitavelmente temia criaturas das trevas, principalmente pro nunca ter realmente visto uma. Mas mesmo se fosse o caso, eu pretendia estar preparado para lutar.

    — Nick, talvez seja melhor irmos com cuidado, você é rápido, deixe-me ir na frente, e se for o caso, você me ultrapassa e pega o inimigo de surpresa, ok ? — Eu odiei meu próprio plano, mas eu gostava de manter o primeiro a aparecer. Eu ajustei a bandana na testa antes de subir as escadas com cautela.

    avatar
    O Mestre
    Admin

    Mensagens : 123
    Data de inscrição : 15/02/2015

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por O Mestre em Dom Mar 05, 2017 11:03 pm

    Nick - Combinado, estou logo atrás de você, e preparado para o que vier!

    Parecia que Últimos tinha conseguido fazer o ruivo se acalmar um pouco e ficar pronto para ajuda-lo, o rapaz então segurou a espada com mais firmeza e a colocou em posição de combate, enquanto subia lentamente a escada. A ideia de ir na frente era totalmente maluca pensava Últimos, mas ele achava que ela poderia ser a mais eficiente, ou talvez o pouco tempo com o grupo o deixou meio doido também. O rapaz foi subindo degrau por degrau bem devagar, sem fazer um único barulho, tentando ver se conseguia escutar novamente aquele estranho som. Mas não dava para ouvir nada, nenhum som estranho, o único ruido que entrava nos ouvidos da dupla era o ranger dos degraus enquanto subiam.

    Apos alguns minutos que pareceram mais uma hora por causa da cautela, eles finalmente chegaram no segundo andar, e Últimos estranhou o que via. Nada, não havia nada no segundo andar, não que não ter nenhuma criatura ali não fosse bom, mas não tinha literalmente nada naquele andar. Isto deixou o garoto bem confuso, pois no andar de baixo todas as coisas estavam como se os antigos moradores tivessem sumido do nada em um dia normal, porém o segundo andar parecia ter sido vasculhado e tudo que estava ali levado embora. O que estava acontecendo?!

    -AAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHH!

    Um grito ecoou por toda a vila fazendo Últimos e Nick pularem de susto, porém quando perceberam que a voz que gritava era de uma garota ambos ficavam preocupados, estaria Eliza em perigo?!

    Nick - Últimos temos que ir! A Eliza sempre mantem a calma, se ela gritou é porque algo horrível deve ter acontecido!

    O ruivo se virou e correu em direção as escadas para poder seguir para o local onde Eliza tinha ido, Últimos ia fazer a mesma coisa mas quando estava para se virar, ele viu um vulto no fundo do segundo andar passar rapidamente e entrar em um comodo que estava com a porta aberta. O que o rapaz faria? Iria ignorar o estranho vulto e seguir Nick para ajudar Eliza? Ou deixaria com que o ruivo fosse sozinho e iria investigar aquele estranho evento que tinha acontecido ali no segundo andar?
    avatar
    Ultimos

    Mensagens : 60
    Data de inscrição : 17/02/2017
    Idade : 21
    Localização : Rio de Janeiro

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por Ultimos em Seg Mar 06, 2017 7:05 am


    Eliza realmente não parece ser do tipo que gritaria. Sem contar que o grito foi alto de mais, mas numa hora dessa ele não estaria abafado pela mansão ? Obviamente não poderíamos arriscar perder a companheira e eu já estava a caminho, mas o vulto que seguiu para o quarto me chamou a atenção de forma que eu não poderia ignora-lo.

    — Nick, se você realmente acha que é ela, vá depressa, você é muito mais rápido que eu. Não devo demorar — Se fossemos juntos, era capaz de que eu ficasse para trás de qualquer forma, eu não seria muito útil. Não verificar Eliza era uma atitude que doeria mais ainda no meu peito se algo acontecesse com ela ou Nick, mas não havia outra forma. Eu tinha que checar a sombra que entrou no quarto. Seja lá o que fosse, não estaria mais aqui quando voltássemos.

    Enquanto eu falei, voltei à atenção para onde teria ido o vulto suspeito. Mas dessa vez eu não tinha tempo para cautela. Eu fui até a porta, prestando atenção claro, mas ainda rápido. Eu a abriria com um movimento veloz da porta e gritaria: — Quem está ai ?!

    avatar
    O Mestre
    Admin

    Mensagens : 123
    Data de inscrição : 15/02/2015

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por O Mestre em Seg Mar 06, 2017 8:07 am

    Nick - Nos temos que resgata-la Últimos! Não temos tempo de... faz o que você quiser!

    O ruivo pareceu ficar bem irritado com a atitude do rapaz e lhe deu um olhar severo antes de sair correndo daquele local, o garoto teria de se esclarecer depois. Porém agora não era hora para isso, Últimos não podia deixar aquele vulto simplesmente desaparecer e eles nunca descobrirem o que era aquilo, precisava agir. O rapaz então correu até o ultimo comodo e o adentrou já gritando para pegar o vulto de surpresa, e no fim ele que ficou estupefato com aquela visão. Uma mulher, de cabelos negros e curtos, com dois aparelhos estranhos em sua cabeça e com uma roupa muito formal para aquela situação, estava de costas e rindo, até que a mesma se virou e Últimos reparou que ela tinha um tapa olho no lugar do olho esquerdo, ela deu um sorriso sádico e começou a falar de forma debochada:



    - Então você foi o único burro que não caiu na armadilha hein? Não importa, porque isso também é uma armadilha! HAHAHA!

    Últimos então ouviu um barulho atras dele que o fez virar de supetão, e o que ele via o deixava muito preocupado. Dois esqueletos, duas pessoas mortas, estavam não só de pé como andando, segurando armas e aparentemente pronto para batalha, o rapaz já tinha ouvido falar neste tipo de coisa mas a realidade é muito mais assustadora quando de perto.



    Os dois oponentes estavam fora da pequena sala, porém estavam tão próximos da porta que era impossível para o garoto tentar correr e fujir, estava preso ali com eles. O rapaz então se lembrou da mulher e novamente se virou para olha-la, porém a mesma havia sumido sem deixar nenhum vestígio, era o único ali, pelo menos o único vivo. Como reagiria? Últimos seria obrigado a lutar para sair dali vivo, porém como?
    avatar
    Ultimos

    Mensagens : 60
    Data de inscrição : 17/02/2017
    Idade : 21
    Localização : Rio de Janeiro

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por Ultimos em Seg Mar 06, 2017 8:55 am



    Droga, Nick não tinha entendido. Os laços que ele fez com o pessoal do navio deveriam ser realmente fortes, isso era bom, mas acabou levando ele para a armadilha. Eu devia ter ido com ele, mas não fui. Meu coração estava acelerado, eu infelizmente não tinha condições para me manter calmo e isso era ruim. Os mortos vivos se revelaram o pior tipo de criatura, eles fediam a gente morta, ele eram gente morta. E pensar em gente morta era a última coisa que eu pretendia fazer com companheiros de viagem em uma armadilha.

    — Droga... — Eu estava com a espada apontada para os dois esqueletos, eu nem ao menos imaginava se era possível mata-los, afinal, eles já estavam mortos. Meus dentes rangeram ao passo de que meu medo estava se tornando ódio.

    "Como eu pude permitir chegar a esse ponto ? E para onde a mulher foi ? "

    Isso acabou me dando uma ideia.

    — ... Eu estou sem tempo para vocês, volto mais tarde. — Concentrei minha mana mais uma vez em meu pulso, preparando a luva. Por sorte eu já havia carregado ela com um pouco da essência da magia no manche, isso deveria me ajudar. Fiz um movimento rápido com a minha mão direita que circulou do cabo da espada até parar de frente para uma parede. O Disparo Místico foi disparado, usando toda a energia acumulada posteriormente. Eu tentei visualizar onde seria a parade para a rua e era nessa mesmo que eu atiraria. Esperava realmente conseguir abrir um buraco nela. Caso os esqueletos avançassem eu iria me defender, mas não ataca-los, tentando me manter perto da parade acertada.



    avatar
    O Mestre
    Admin

    Mensagens : 123
    Data de inscrição : 15/02/2015

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por O Mestre em Ter Mar 07, 2017 2:25 am

    Últimos se encontrava em uma situação complicada e desesperadora, estava preso em uma armadilha mortal e ao que tudo indicava, seus recém companheiros também corriam perigo. Ele precisava dar um jeito de se livrar daquilo bem rápido, e o sumiço da mulher lhe deu uma ideia meio perigosa, mas não havia muito mais o que fazer. O rapaz concentrou todo o poder guardado em sua luva e o disparou contra a parede (gastando 70MP), pela janela ele podia ver que por ali conseguiria chegar na rua da vila abandonada, então soube exatamente onde "atirar". O disparo ocorreu e atingiu em cheio a parede, um som altíssimo de explosão ocorreu e os escombros da parede voaram para todos os lados, algo que Últimos não tinha pensado e que o pegou de supetão, seu rosto, braços e tórax sofreram cortes leves dos pedaços de madeira que voavam (menos 10HP).

    Aquilo também fez com que fumaça e poeira subisse ao ar e tapasse um pouco a visão do garoto, mas o maior problema é que nenhuma daquelas coisas afetavam criaturas mortas. Os escombros que acertaram os esqueletos quebraram alguns de seus ossos, mas nada que os fizesse parar de se mover, e a poeira junto com a fumaça não fazia diferença a eles, por não enxergarem os mesmos identificavam seus inimigos sentindo suas almas. Graças a isso o esqueleto que estava mais a frente entrou no quarto e desferiu uma espadada na direção do tórax de Últimos, que foi pego de supetão ao ver seu inimigo somente no ultimo instante, o rapaz conseguiu defender, mas havia ficado posicionado em uma forma péssima por causa daquele ataque "surpresa". Últimos tinha de segurar a espada com as duas mãos para segurar o ataque do oponente, e por isso ficaria temporariamente incapacitado de usar sua luva, ele até podia usar a mesma mas a força do esqueleto ganharia dele e o rapaz seria jogado para trás caso o fizesse.

    Para piorar ainda mais sua situação, o segundo esqueleto tentava adentrar o comodo para atacar Últimos também, mas para a sorte do garoto o esqueleto que ele defendia estava no caminho, e como mortos vivos são criaturas burras, o mesmo não conseguia "pensar" em uma forma de acerta-lo sem ter que estar literalmente do lado do rapaz. A situação estava complicada, Últimos teria que fazer alguma coisa para reverter a situação ou poderia ser ferido gravemente, ou até morrer. Pelo meno o plano da parede havia funcionado, ao olhar rapidamente para o lado, Últimos viu que tinha um buraco grande o suficiente para ele pular para a rua, porém seria uma boa decisão saltar do segundo andar? O que o garoto faria? Seguiria com seu plano de escapar pela parede? Ou teria ele alguma outra ideia para mudar aquela situação?
    avatar
    Ultimos

    Mensagens : 60
    Data de inscrição : 17/02/2017
    Idade : 21
    Localização : Rio de Janeiro

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por Ultimos em Ter Mar 07, 2017 5:49 am


    Os estilhaços me prejudicaram mas eu fiquei feliz por não ter pulado direto.
    " Da próxima vez eu irei distribuir mais pontos em inteligência e destruir o chão abaixo dos esqueletos". - Pensei comigo mesmo.

    A dor era em locais esporádicos e isso me incomodava bastante, era como se meu corpo estivesse com pregos espalhados, mesmo com a dor eu não tinha como identificar os locais feridos em específico pois estava no meio de um combate. Isso até que era util, no momento eu apenas segui com a adrenalina e defendi um ataque do esqueleto, pura sorte.

    Pendi a respiração por um momento tentando evitar a poeira do local, respirar aquele ar pesado poderia me prejudicar.

    "Malditos mortos-vivos"

    Quanto mais tempo eu os permitisse tirar de mim menor eram as chances deu conseguir ser útil para o trio lá fora. Como antes, eu aproveitei da proximidade entre eu e o esqueleto para acertar sua canela, com total intenção de parti-la, eu esperava que a estrutura óssea da criatura não fosse resistente e cedesse com a força depois de já ter sido atingida pelos mesmos escombros que eu. Eu tentaria baixar a espada em sua cabeça caso surgisse a oportunidade.

    avatar
    O Mestre
    Admin

    Mensagens : 123
    Data de inscrição : 15/02/2015

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por O Mestre em Ter Mar 07, 2017 8:57 am

    Últimos estava ficando cada vez mais desesperado, cada segundo a mais que perdesse naquela luta seria um segundo a mais em que os companheiros corriam perigo. O garoto precisava dar um jeito de terminar logo aquela batalha, e para isso ele teve uma ideia e também resolveu testar uma teoria. Um chute com toda a força foi dado pelo rapaz bem na canela do esqueleto, pretendo quebra-la e derrubar a criatura. Porém o osso não quebrou, apesar de ser apenas uma criatura morta parecia que as condições de seu "corpo" estavam excelentes, e o plano dele não havia funcionado. Ou foi o que pensou Últimos, pois o morto vivo acabou caindo com o impacto sim, mas por outro motivo. Por não ser um humano, o esqueleto não possui uma postura de batalha, preparada para ataques que façam o oponente perder o equilíbrio, e graças a isso a perna da criatura se dobrou e a mesma despencou ao chão.

    O impacto infelizmente não fez muito em danificar o esqueleto, mas pelo menos quando o braço do mesmo atingiu o chão a espada dele foi lançada para o fundo do comodo, o deixando desarmado. Vendo esta oportunidade Últimos decidiu destruir logo seu oponente para poder sair dali o quanto antes, porém em sua pressa e por seu foco não estar completamente na batalha, ele esqueceu que havia mais um esqueleto. E este agora estava com o caminho livre, não tenho seu "parceiro" em seu caminho a criatura entrou na sala e desferiu um golpe horizontal da direita para a esquerda, direcionado ao tórax do rapaz. Últimos só percebeu que estava sendo atacado quando seu golpe foi interrompido por uma lamina desconhecida, e foi ali que ele percebeu o quanto a sorte esteve do seu lado, pois por pura coincidência seu ataque acabou servindo como uma defesa. Porém a sorte do garoto parecia ter acabado ali, pois enquanto segurava o impacto do esqueleto em pé e, tinha que aplicar força para não ser empurrado pelo mesmo, o garoto sentiu algo segurar a sua canela esquerda.

    Ao olhar para baixo Últimos pode ver que o esqueleto do chão estava segurando sua perna para impedi-lo de se mexer, a criatura parecia estar perdida sem sua espada e não sabia como ataca-lo, porém o instinto do mesmo acabou deixando o rapaz em uma situação precária. Com a perna esquerda presa pela mão do esqueleto (que era mais forte do que ele pensava), segurando um ataque do outro oponente que estava tentando com toda força empurra-lo e provavelmente derruba-lo, o garoto estava sem opções. O que faria Ultimo nessa situação tão complicada e perigosa?
    avatar
    Ultimos

    Mensagens : 60
    Data de inscrição : 17/02/2017
    Idade : 21
    Localização : Rio de Janeiro

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por Ultimos em Ter Mar 07, 2017 9:19 am


    A situação foi de mal à pior.

    Sem muitas opções, eu estava ficando cada vez mais nervoso, eu estava me tornando mais afobado e isso havia me deixado numa enrascada pior. Geralmente nessa situação eu usaria outro disparo místico mas a luva havia esgotado suas cargas e o tiro não seria muito potente. Além disso, minhas mãos estavam ocupadas segurando a espada contra a arma do esqueleto.

    Eu atė pensei na possibilidade de usar o vórtice de poder, mas alguma coisa me dizia que não seria possível. E agora com a situação da forma que ela havia desenrolado, eu não tinha muitas opções para me tirar dessa, atė mesmo o tempo foi perdendo espaço para o medo. O medo de morrer. Forcei um pouco mais a espada do guerreiro esqueletal, mas ele era bem forte, eu tinha que tentar outra coisa. Recuei a minha arma rapidamente, imaginando que a do esqueleto se renderia a inércia, ou não, eu voltaria a arma em um ataque para sua mão que segurava a espada, para corta-la fora. Se funcionasse, eu usaria lâmina para atacar o tórax do esqueleto de pė. Caso não funcuinasse, eu me jogaria para trás, para desviar de algum possível ataque.

    avatar
    O Mestre
    Admin

    Mensagens : 123
    Data de inscrição : 15/02/2015

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por O Mestre em Ter Mar 07, 2017 10:23 pm

    Últimos estava cada vez mais impaciente e precipitado por causa de toda a situação, e isso só atrapalhava o garoto em sua batalha. Ele tentou se acalmar um pouco porém não havia tempo nem para isso direito, ele teve que agir rapidamente. O rapaz decidiu dar um passo para trás para usar a inercia contra o oponente que lhe atacava, e funcionou, assim que ele saiu do caminho do esqueleto a espada do mesmo continuou seu trajeto com força e, acertou a parede e ficou presa ali.

    O que Últimos não esperava era que com a força do golpe do oponente, ele fosse mais para trás do que o planejado e, por ter sua perna segurado pelo outro esqueleto, ele caiu com um baque seco no chão. O impacto não lhe causou dano mas, agora tinha também uma dor nas costas o incomodando. O rapaz olhou a situação inteira a sua volta para ver o que deveria fazer agora, o esqueleto de pé estava com a espada profundamente presa na parede, e ele estava tendo dificuldades para arranca-la dali. O outro esqueleto continuava segurando sua perna sem saber como ataca-lo, porém o garoto pode perceber que com sua queda, o braço do mesmo foi puxado com força e o ombro dele deslocou, talvez pudesse fazer algo referente aquilo. Sem demorar muito a agir, Últimos começou a chutar a "cara" do esqueleto que o segurava com a perna livre e, puxava a perna que estava sendo segurada para tentar sair daquela enrascada.

    Alguns chutes e empurrões depois e, para surpresa do garoto, o braço que segurava sua perna se desprendeu do esqueleto e se manteve segurando sua perna, estava livre agora, mas tinha um "souvenir" do inimigo que ainda estava preso nele. O rapaz então foi para o fundo da sala e observou seus dois oponentes, o esqueleto com a espada presa na parede e o outro no chão com apenas um braço. O que fazer agora? Finalmente estava na vantagem, como aproveitaria essa situação?
    avatar
    Ultimos

    Mensagens : 60
    Data de inscrição : 17/02/2017
    Idade : 21
    Localização : Rio de Janeiro

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por Ultimos em Ter Mar 07, 2017 11:24 pm



    Eu estava ofegante, o suor escorria pelo meu rosto, mas graças a bandana ele não escorria para meus olhos. A mudança de maré na luta foi um tremendo empurrão e agora eu já me via mais esperançoso com o resultado. Infelizmente eu não poderia descansar.

    Com um pé eu dei uma pisada no braço que ainda agarrava a minha perna, para me livrar finalmente dele:

    Para aproveitar de fato a situação eu pretendia avançar rápido. Deixando a espada um pouco mais abaixada ( com a lâmina quase arrastando no chão ), avancei a passos largos, eu deixaria para fazer um arco levantando a lâmina somente quando eu me aproximasse do esqueleto sem um dos braços, eu arrastaria a espada para cortar o esqueleto deitado enquanto levanto a arma contra o com a espada presa. A intenção era cortar ambos com um golpe só. Já no embolado eu desceria a lâmina em mais um ataque, eu não queria dar tempo aos esqueletos.


    avatar
    O Mestre
    Admin

    Mensagens : 123
    Data de inscrição : 15/02/2015

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por O Mestre em Qua Mar 08, 2017 4:25 am

    Últimos aproveitou sua vantagem e não perdeu tempo para virar o jogo, o rapaz andou a passos largos em direção ao esqueleto do chão e, juntando a força do movimento desferiu um golpe em sua cabeça. A espadada acertou em cheio e com força suficiente para jogar o cranio do esqueleto para o alto, fazendo ele acertar o teto e se quebrar em pedacinhos. Quando isto ocorria uma aura estranhamente verde saia dos restos do cranio da criatura e, um som baixo mais horripilante pairava no ar por alguns segundos.

    Porém o rapaz não tinha tempo a perder observando essa cena, precisava aproveitar da força deste movimento para desferir outro golpe no inimigo restante, o acertando também na cabeça e a esmagando contra a parede. Novamente o fenômeno da aura verde aconteceu e foi então que Últimos pode relaxar, vendo que seus oponentes estavam finalmente mortos, de verdade desta vez (20 de experiencia pela vitoria). O garoto ficou feliz e comemorou por um segundo ter ganho aquela luta, mas estava tão preocupado com seus companheiros que precisava correr para encontra-los. Ao sair na rua Últimos reparou que a vila estava totalmente em silencio, como se nada estivesse acontecendo, como se ninguém além dele estivesse por ali, e por mais que o rapaz tentasse ele não conseguia ouvir nenhum barulho que indicasse onde estavam os piratas. O que ele faria? Tentaria procurar na taverna ou na mansão, já que sabia que eles tinha ido procurar nestes locais? Ou teria alguma outra forma dele encontra-los?
    avatar
    Ultimos

    Mensagens : 60
    Data de inscrição : 17/02/2017
    Idade : 21
    Localização : Rio de Janeiro

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por Ultimos em Qua Mar 08, 2017 10:33 am


    Final eu havia conseguido derrubar os dois.
    Ofegante, eu tinha consciência de que poderia ser tarde de mais. Ao olhar a rua de onde imaginei ter vindo o grito, não havia ninguém. Isso me deixava mais nervoso e sem saber o que fazer. Para piorar, fora de combate, onde as farpas me acertaram já começavam a se tornar dor.

    Eu me apoiei em alguma paradeiro para tentar me acalmar, começando a entender que o nervosismo não ajudaria. Decidi gritar : — Niiick!! — Eu desejei que ele me encontrasse, mesmo temendo que ele não fosse o único: — Eliza !! — Não dava para chamar o capitão. Eu iria esperar um pouco e se nada acontecesse eu iria para a mansão.

    avatar
    O Mestre
    Admin

    Mensagens : 123
    Data de inscrição : 15/02/2015

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por O Mestre em Qua Mar 08, 2017 11:50 am

    Últimos utilizava o pouco que lhe restava de folego para gritar por seus colegas, esperando que eles tivessem bem e que não fosse tarde demais. Passou um tempo e ninguém apareceu, ficando mais preocupado ainda o garoto se preparou para ir até a mansão, porém ele parou pois um tiro passou raspando pelo lado de sua cabeça, e assustado ele viu que os três piratas estavam bem e indo até ele:

    Eliza - Já basta esse imbecil aqui ficar preocupado a toa comigo, agora você também?! Eu sou mais forte que todos vocês seus babacas!

    Nick - Eu já pedi desculpas! E Eliza, era uma voz feminina então...

    Eliza - Cala a boca! As mulheres da nossa tripulação são eu e a Christina, por acaso você acha que alguma de nós duas gritaríamos dessa forma?! Claro que não! Era obvio que isso era uma armadilha, e vocês caíram como idiotas!

    Nick - Deixa isso pra lá Eli, Últimos... eu te devo desculpas... parece que eu me precipitei e me deixei levar para uma armadilha por não pensar racionalmente. Você manteve a calma e conseguiu entender melhor a situação, então me desculpe.

    Eliza - Deixar isso pra lá?! E quem disse que pode me chamar de Eli?! Olha aqui seu garoto #@$%*&!@#$.........

    O ruivo e a garota de cabelos dourados continuaram discutindo, mais precisamente Nick ficava pedindo desculpas enquanto Eliza lhe dava um sermão bem brutal. O capitão riu daquela situação toda e os ignorou completamente, seguindo para perto de Últimos e finalmente percebendo o quão cansado ele estava, e também que o garoto estava machucado. O Excêntrico então correu até o rapaz e verificou se os ferimentos eram profundos, pela primeira vez Últimos viu uma preocupação para com o próximo que não esperaria do capitão, cada vez mais os piratas lhe surpreendiam:

    O Excêntrico - Você esta bem? Que bom que seus ferimentos são leves, você também foi atacado pelos esqueletos? Nick me disse que você escolheu ficar para trás, o que houve?
    avatar
    Ultimos

    Mensagens : 60
    Data de inscrição : 17/02/2017
    Idade : 21
    Localização : Rio de Janeiro

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por Ultimos em Qua Mar 08, 2017 1:09 pm


    Suspirei aliviado, recapitulando tudo. Não havíamos encontrado nada de útil, nenhuma pista de nada, apenas...

    — Quando nos separamos, eu e Nick, uma moça bonita apareceu para mim, falou que apesar de vocês tirem caído numa armadilha e eu não, todos nós morreriamos. Ela sumiu tão rápido quanto apareceu, usava roupas formais, cabelos escuros e... Um acessório estranho na cabeça... — Esperei para ver se alguém comentaria a respeito dela, se algum deles a havia visto.

    — E vocês ? Alguma coisa ? Parece que vocês se saíram bem na luta contra os esqueletos... Eu também lutei contra alguns... E acabei sendo atingido pela culatra enquanto garantia uma rota de fuga. — Fiz uma careta, fazer o relatório rápido até que era mais relaxante do que lutar.

    avatar
    O Mestre
    Admin

    Mensagens : 123
    Data de inscrição : 15/02/2015

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por O Mestre em Qui Mar 09, 2017 12:07 am

    O Excêntrico - Uma mulher com um acessório estranho na cabeça? Eu não vi ninguém assim, vocês viram?

    Os outros piratas balançavam a cabeça de forma negativa, demonstrando que ninguém além do rapaz tinha visto qualquer pessoa ali além deles mesmos, o que fazia o garoto se perguntar ainda mais o que aquela mulher fazia naquela taverna. Eliza e Nick reportaram os acontecimentos que presenciaram e em pouco tempo, o grupo descobria que não tinham aprendido nada de valioso, todo o mistério continuava tão misterioso quanto antes:

    O Excêntrico - Hum... bem parece que só tem um jeito de conseguirmos as informações que precisamos, venham comigo até a pousada.

    E com um movimento de mão o capitão chamou todos para segui-lo até a pousada de onde ele já tinha vindo, eles não entendia o porque daquilo mas foram junto com o mesmo. Ao entrar na pousada todos menos o capitão foram surpreendido com que viam dentro dela, tudo estava destruído igual ao resto da vila mas, ela estava cheia de pessoas. Bem, pessoas seria um termo incorreto, pois Últimos percebeu que aquelas pessoas eram um pouco transparentes demais, eram fantasmas:

    O Excêntrico - Não se assustem pessoal, diferente dos esqueletos essas pessoas, pessoas? Hum... fantasmas? Espíritos? Eles não são agressivos, estive conversando com eles por um tempo e parece que eles tem informações importantes do que aconteceu aqui. Podem perguntar o que quiserem para eles.

    O capitão deixou seus subordinados tirarem suas duvidas primeiro, aparentemente O Excêntrico já sabia o que perguntar para conseguirem as informações necessárias, mas ele queria que seus companheiros também pudessem conseguir respostar. O que Últimos perguntaria? Falaria sobre a estranha mulher? Perguntaria dos mortos vivos? Ou teria ele mais duvidas além dessas?
    avatar
    Ultimos

    Mensagens : 60
    Data de inscrição : 17/02/2017
    Idade : 21
    Localização : Rio de Janeiro

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por Ultimos em Qui Mar 09, 2017 9:32 am


    Fui, logo atrás do grupo, inseguro a respeito de continuar na ilha. Eu podia ter esperado qualquer coisa, mas nunca conseguiria adivinhar para onde exatamente o capitão nos levaria. Com tanto espírito flutuando ao nosso redor, não seria mentira eu dizer que senti muito medo.

    Mas, diferente dos esqueletos, eles não me atacaram e isso foi suficiente para que eu recuperasse minha compostura. Meu nível de estresse estava crescendo, a situação estava horripilante, mas havia algo mais para ser descoberto, os mistérios do lugar me mantiveram são e consciente.

    E então, sobre ter dúvidas, aproveitei o grupo hesitante para tomar uma iniciativa. Me aproximei do espírito.

    — Nossa, muito interessante, vocês são os antigos habitantes, não são ? Como é por que a alma de vocês ainda ficou por aqui ? Já ouvi sobre algumas crenças, mas... — Eu daria tempo para eles responderem essa, porém meu foco logo voltaria para a situação. Eu pretendia perguntar sobre a mulher que eu havia visto.

    avatar
    O Mestre
    Admin

    Mensagens : 123
    Data de inscrição : 15/02/2015

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por O Mestre em Qui Mar 09, 2017 9:07 pm

    Depois que Últimos conseguia se acalmar por não estar sendo atacado pelos fantasmas, ele conseguia fazer uma das perguntas que lhe incomodavam, esperando a resposta da mesma antes de perguntas mais. Os fantasmas se reuniram perto do grupo e começaram a falar todos de uma vez só, era uma tamanha bagunça que não dava para entender nada, até que dois dos fantasmas acalmaram o resto. Um era o espirito de um idoso que parecia ser bem sábio, pela sua aparência dava para imaginar que era o antigo prefeito da cidade. Já o outro parecia um pirata também, musculoso e com o rosto cheio de cicatrizes, deveria ser o guerreiro mais forte e respeitado da cidade pois, mesmo mortos os fantasmas mostravam grande medo ao olhar para ele. Assim que todos ficaram em silencio o fantasma idoso começou a falar:

    -Sim, todos nos moramos, ou melhor, morávamos aqui nesta cidade. E infelizmente não estamos aqui de forma natural garoto, não somos almas que ainda tem arrependimentos e por isso estão presas ao mundo dos vivos. Não, o que aconteceu conosco foi diferente, era um dia normal como qualquer outro, vivíamos uma vida bem calma pois esta ilha é bem afastada de tudo. Porém um estranho navio chegou em nosso porto, e os tripulantes vieram pedir ajuda dizendo que seu capitão estava doente, o trouxemos para o centro da cidade e foi ai que aconteceu. O homem estava com uma aparência pútrida, como se estivesse se decompondo ainda vivo, e quando aqui chegou ele soltou de sua boca uma fumaça esverdeada, que envolveu a cidade inteira. Quando nós acordamos nossos corpos haviam sumido e, eramos espíritos, estávamos mortos sem nem saber como.

    O espirito demonstrava uma expressão de tristeza ao lembrar do fato, um fato tão estranho que deixava Últimos perdido, sabia como eles tinha morrido mas, isso não respondia a pergunta. O que era a fumaça esverdeada? Como ela pode matar todos e sumir com seus corpos? Antes que ele pudesse perguntar mais o capitão resolveu tirar uma de suas duvidas:

    O Excêntrico - Então foi uma causa não natural... hum... os esqueletos começaram a aparecer logo depois? Sabem o que houve com o navio? Tem algo acontecendo com as almas daqui?

    -Os esqueletos não apareceram logo em seguida, demorou um pouco, em torno de alguns meses até eles começarem a surgir em nossas ruas. Quanto ao navio ele sumiu quando acordamos, mas o Jack aqui o encontrou em uma caverna escondida no extremo da ilha, ele pode lhes mostrar o caminho se quiserem. E engraçado você perguntar sobre as almas porque, eramos muito mais fantasmas quando tudo isso aconteceu, desde que morremos até agora, parece que todo dia que passa alguns de nos desaparecem sem motivo. A unica coisa que sei sobre isso é que, parece que alguns de nos ouve um chamado para uma fabrica abandonada que fica no centro da cidade, posso lhes acompanhar para lá se quiserem.

    O Excêntrico - Bem, fabrica abandonada e navio estranho, temos dois lugares para investigar. Qual vocês acham que deveríamos ver primeiro? E querem perguntar mais coisas?

    Últimos ouvia mais da historia dos ex-moradores da vila e cada vez mais aquele mistério o deixava preocupado, parecia que algo bem sinistro estava acontecendo ali. Além disso o capitão lhes dava uma escolha agora, sobre os dois lugares que deveriam investigar. Qual seria a decisão de Últimos? Ele gostaria de fazer mais alguma pergunta antes de ir? Ou iria fazer uma escolha e prosseguir?

    Conteúdo patrocinado

    Re: Ilha dos Mortos - Voyna

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Sab Ago 19, 2017 5:29 pm